O novo mago-rei

Ordenada diretamente pelo novo mago-rei, a guarda militar do Conselho dos Magos reuniu-se e enfileirou-se, esplendidamente âmbar, ao redor do castelo do Conselho. Os outros magos estavam ali também — alguns com orgulho, outros a contragosto — em um púlpito de madeira feito para aquela ocasião misteriosamente forjada. Por detrás deles um conjunto de dez charretes, cada uma com três soldados do Exército do Conselho, preparadas para partir.

Desmodes, numa elevação na região central do púlpito, observava as feições disciplinadas dos guerreiros. À frente da tropa, que não cabia toda na pequena planície nivelada acima da área do acampamento, estava o general Evan. Sua seriedade não incomodava o novo detentor do poder máximo no órgão. Evan seria fundamental em seu plano.

— Bravos guerreiros do Conselho dos Magos. — Começara Desmodes, falando perto de um minério de som apoiado por um rudimentar braço vertical de madeira. —- Meu nome é Desmodes, e na condição de novo mago-rei, reuni a todos para um anúncio da mais extrema urgência e importância.

“Durante a gestão anterior muito ficou por ser feito. Dresden foi um mago honroso e digno, que lutou por nossos interesses, por nossos direitos e por nossa existência. Temos que honrá-lo, mas não é preciso concordar com seus feitos e suas escolhas. Podemos fazer mais. Devemos fazer mais.

É por isto que representantes, nossos soldados, irão percorrer Heelum e entregar a cada cidade um comunicado. Nós nos revelaremos, explicaremos nossos objetivos e a razão de nossa existência. Nós entendemos que o papel dos magos é liderar; é mostrar o caminho. Um caminho melhor. Mais organizado, integrado, inteligente e próspero, onde todos nós nos encaixamos e vivemos como devemos.

Às cidades será pedido que demonstrem sua lealdade ao entregar seu exército para a formação de uma força conjunta, que atuará na segurança deste projeto. Sabemos, afinal… Que algumas cidades são movidas por interesses baixos e ultrapassados. Elas não concordarão em deixar o passado para trás para se juntar a esta nova ordem. Devemos convencê-las, e lutaremos com tudo que temos. Usaremos todo e qualquer meio de que dispormos.”

— Guerra. — Disse Peri, baixinho, com Elton e Kevin, cada um de um lado, olhando de soslaio para ele.

— … Podemos dar início aos procedimentos diplomáticos.

Com um aceno discreto de Desmodes, os soldados começaram a puxar as rédeas dos yutsis, dando partida às charretes. Saíam, uma a uma em cada vez maior velocidade, para ganhar as colinas do centro de Heelum, depois as estradas e, por fim, as vinte e duas cidades de Heelum.

Sob o som de surpreendentes — e surpresos — urros e brados de excitação, Desmodes dava início a uma nova era.